sábado, 7 de julho de 2018

O DILÚVIO E O CÓDIGO "ELOHIM" - Parte 1


UMA SIMETRIA MATEMÁTICA SURPREENDENTE, CONECTANDO AS DATAS DO DILÚVIO E AS 7 PRIMEIRAS PALAVRAS DA BÍBLIA (CÓDIGO GÊNESIS)

Abaixo há uma tabela com 360 linhas, divididas em 12 partes, e cada uma destas partes com 30 subdivisões. Ao lado de cada número tem alguns números separados por um asterisco - os do lado esquerdo representam o DIA e os do lado direito, o MÊS. Em resumo, temos uma simulação de um calendário do tipo usado pelos profetas e escritores bíblicos (360 dias, 12 meses de 30 dias). Na 3ª coluna temos uns números que fazem parte de uma sequência. No original hebraico, o primeiro versículo da Bíblia tem 7 palavras e 28 letras. Cada letra tem um valor numérico, segundo um padrão criado por matemáticos nos tempos antigos.

Os 28 valores por trás das 28 letras de Gênesis 1.1, são:
2,200,1,300,10,400,2,200,1,1,30,5,10,40,1,400,5,300,40,10,40,6,1,400,5,1,200 e 90.

A palavra mais importante dentre as 7 é a 3ª, ELOHIM, traduzida como DEUS, e cujo valor numérico é 86.

Bem, usando esses 28 valores, preenchemos o calendário abaixo, até fecharmos os 360 dias.

* Para se surpreender com a incrível simetria da Matemática Bíblica revelada, vá até o final.

Em todo o livro de Gênesis, somente cinco datas exatas (dia e mês) são reveladas, todas na história do Dilúvio. Primeiro, vamos colocar os versículos sobre essas datas ao lado do dia correspondente no calendário.

01*01 2 - "E aconteceu que no ano seiscentos e um, no mês primeiro, no primeiro dia do mês, as águas se secaram de sobre a terra. Então Noé tirou a cobertura da arca, e olhou, e eis que a face da terra estava enxuta." (Gênesis 8.13);


02*01 200   
03*01 1       
04*01 300   
05*01 10     
06*01 400   
07*01 2       
08*01 200   
09*01 1       
10*01 1       
11*01 30     
12*01 5       
13*01 10     
14*01 40     
15*01 1       
16*01 400   
17*01 5       
18*01 300   
19*01 40     
20*01 10     
21*01 40     
22*01 6       
23*01 1       
24*01 400   
25*01 5       
26*01 1       
27*01 200   
28*01 90     
29*01 2       
30*01 200   
01*02 1       
02*02 300   
03*02 10     
04*02 400   
05*02 2       
06*02 200   
07*02 1       
08*02 1       
09*02 30     
10*02 5       
11*02 10     
12*02 40     
13*02 1       
14*02 400   
15*02 5       
16*02 300  

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

O DESAFIO DO CÓDIGO GÊNESIS – versão sintetizada em 7 passos

Se Deus existe e inspirou a Bíblia não teria deixado uma autenticação clara, profunda o suficiente para atrair a atenção dos acadêmicos, mas simples o bastante para ser compreendida pelos leigos?
Essa autenticação ou mensagem teria que ser formulada numa linguagem universal, capaz de ser entendida por qualquer pessoa, em qualquer cultura. A Matemática é uma língua universal.
É possível que Deus tenha usado a Matemática para evidenciar a origem sobrenatural da Sua Palavra? E como seria isso?
“No princípio criou Deus os céus e a terra.” (Gênesis 1.1).
O primeiro versículo da Bíblia, a frase mais importante sobre a origem do Universo, possui uma estrutura matemática sem paralelos na literatura religiosa mundial. Caso alguém queira contestar essa afirmação, só precisa responder aos 7 tópicos do desafio proposto neste texto. Mas, antes de mais nada, algumas informações são necessárias:
1 – Existe uma categoria de números na Matemática que precedem o uso dos algarismos: OS NÚMEROS FIGURADOS. Dentre as categorias existentes, três merecem nossa atenção hoje:
a) Números TRIANGULARES: Todos aqueles que são a soma de uma seqüência desde o número 1:
1
1 + 2 = 3
1 + 2 + 3 = 6
1 + 2 + 3 + 4 = 10
1 + 2 + 3 + 4 + 5 = 15
1 + 2 + 3 + 4 + 5 + 6 = 21
b) Números HEXAGONAIS (centralizados): É todo número formado a partir da fórmula: 3n(n-1) + 1.
Os 7 primeiros números hexagonais são: 1, 7, 19, 37, 61, 91 e 127.

c) Números ESTRELARES HEXAGONAIS: todo número que segue a fórmula 6n(n-1) + 1. 
Bem, abaixo de 1000 só existem 13 números estrelares hexagonais:
1, 13, 37, 73, 121, 181, 253, 337, 433, 541, 661, 793 e 937.
 Abaixo de 1.000.000 (um milhão), temos somente:
- 1.413 números triangulares;
- 577 números hexagonais; e
- 408 números estrelares hexagonais.
2 – A Bíblia foi escrita em duas línguas alfa-numéricas, isto é, o alfabeto hebraico e o grego possuíam valores numéricos, pois os antigos hebreus e gregos ainda não conheciam os sinais que representam os algarismos, tais como usamos hoje. Assim, se cada letra possui um valor numérico, conseqüentemente, cada palavra tem um valor.
Tabelas com os valores dos alfabetos gregos e hebraicos podem ser facilmente encontradas na Internet, por isso não precisamos ocupar este espaço com elas.
Como nossa língua não é alfa-numérica, vamos imaginar que seja, usando o mesmo padrão adotado pelos antigos hebreus:

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

DEUS É POETA, PROFETA OU MATEMÁTICO?

1 - DEUS, O POETA

"Caia como a chuva a minha doutrina; destile a minha palavra como o orvalho, como chuvisco sobre a erva e como chuvas sobre a relva." (Deuteronômio 32.2)

2 - DEUS, O PROFETA

"Desde a antigüidade anunciei as coisas que haviam de ser; da minha boca é que saíram, e eu as fiz ouvir; de repente as pus por obra, e elas aconteceram." (Isaías 48.3)

3 - DEUS, O MATEMÁTICO

"Quem mediu com o seu punho as águas, e tomou a medida dos céus aos palmos, e recolheu numa medida o pó da terra e pesou os montes com pesos e os outeiros em balanças,...?"
(Isaías 40.12)

4 - DEUS, O POETA PROFETA (ou O PROFETA POETA)?

"Dias virão em que Jacó lançará raízes; Israel florescerá e brotará; e eles encherão de fruto a face do mundo." (Isaías 27.6)

5 - DEUS, O POETA MATEMÁTICO (ou O MATEMÁTICO POETA?)

Prova bíblico-matemática de que entre um homem e uma mulher só deve existir Deus:

Valor numérico de Adão, em hebraico: 45
valor numérico de Eva, em hebraico: 19
Valor numérico do Nome do SENHOR (YHWH), em hebraico: 26
Difença entre 45 (Adão) e 19 (Eva) = 26 (YHWH)

6 - DEUS, POETA, PROFETA E MATEMÁTICO

No ano 592 a.C., Deus ordenou que Ezequiel dormisse 390 dias do lado esquerdo e 40 dias do lado direito, simbolizando o tempo da dispersão de Israel entre as nações (Ezequiel 4).

Contando, a partir de 592 a.C (em anos):

390+
40+
390+
40+
390+
40+
390+
40+
390+
40+
390 = 1948 
(ano da Restauração Política de Israel).
Observem a SIMETRIA: No ano 592 a.C., Ezequiel teve as primeiras visões de Deus e no ano 573 a.C., registrou suas últimas visões (capítulos 40 a 48), quando viu, claramente, o Retorno da Glória do SENHOR para Israel e a Restauração final de Jerusalém. 

Contando, a partir de 573 a.C. (em anos):

390+
40+
390+
40+
390+
40+
390+
40+
390+
40+
390 = 1967 
(ano da Restauração Política de Jerusalém).

"Ninguém há semelhante a ti, ó Senhor; és grande, e grande é o teu nome em poder." (Jeremias 10.6)

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.

Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

segunda-feira, 31 de março de 2014

TESES ARQUIVO7 SOBRE A CONEXÃO MATEMÁTICA E TEOLOGIA

1 - Deus desenhou o Universo, usando os números como tinta e a Matemática como pincel.

2 - A Bíblia pode ser interpretada segundo a Matemática.

3 - Deus fala por meio dos números e os números nos falam sobre Deus.

4 - Os números refletem a Natureza de Deus.

5 - Tudo o que existe pode ser lido como números.

6 - As constantes matemáticas provam que existe uma ordem no Universo. E, se existe uma ordem, Deus existe.

7 - A Matemática é a digital do polegar direito de Deus e a Profecia é a digital do Seu polegar esquerdo.

Só Deus pode ter criado a Matemática; só Ele inspira profecias verdadeiras. As evidências dessas afirmações podem ser encontradas em nosso livrão virtual disponível nos formatos power point e pdf, nos links abaixo:
- Formato power-point: http://sdrv.ms/ZHobAh
         - Formato PDF: http://sdrv.ms/1a28Cw8

         Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.
Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

OS MISTÉRIOS DO ARQUIVO7 - AGORA TAMBÉM EM PDF

Qual o sentido da vida?

Por que existe alguma coisa ao invés de nada?

Por que Deus fez o mundo em 6 dias, quando poderia ter feito num segundo só?

E será que Deus se comunicou mesmo com o homem por meio da Bíblia?

Existe alguma evidência, alguma assinatura, alguma digital de Deus na Criação?

Você acreditaria se alguém lhe dissesse que todas as respostas estão conectadas com o número 7?

Em busca de respostas para estas perguntas, uma série de informações surpreendentes veio à tona, fazendo surgir o ARQUIVO7.

Agora você poderá ver (ou baixar) os arquivos em dois formatos, nos endereços seguintes:

- Formato power-point: http://sdrv.ms/ZHobAh

- Formato PDF: http://sdrv.ms/1a28Cw8

Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.


Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

terça-feira, 29 de outubro de 2013

NO PRINCÍPIO ERA A MATEMÁTICA...






Se você gosta de Matemática, vai adorar essa série de estudos envolvendo a história da Matemática e sua conexão com a Teologia. E se não gosta, é possível que passe a gostar depois de conhecer algumas das maravilhas dessa elegante “senhora”. Para baixar os slides (formato power-point), acesse este endereço: (http://sdrv.ms/ZHobAh).
Qualquer sugestão, crítica ou questionamento, escreva-me.
Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

domingo, 21 de abril de 2013

MATEMÁTICA BÍBLICA – COMEÇANDO DO COMEÇO


Tal como a Matemática universal, se você tentar entendê-la a partir do meio ou do fim, vai ficar mais frustrado ainda. O livro “matemática” não pode ser lido a partir de qualquer capítulo, tem que ser lido do inicio. Por isso, caso você esteja visitando este blog pela primeira vez ou é seu primeiro contato com essa tal Matemática Bíblica, preparei um roteiro razoável para ajudá-lo nos “primeiros passos”.
       São 7 links destacados entre todos os textos já publicados aqui, que abrirão seus olhos para as maravilhas da Matemática universal, começando da bíblica. Em outras palavras, antes de ler qualquer outro texto deste blog, comece pelos 7 indicados, e, de preferência, na ordem em que estão organizados.
         Boa leitura e espero que se apaixone pela Matemática.
2 – 3 E 7 – UMA ESTRANHA AMIZADE MATEMÁTICA E TEOLÓGICA - http://filosofia777.blogspot.com.br/2012/11/3-e-7-uma-estranha-amizade-matematica-e.html
3 - PROFECIA E MATEMÁTICA – DUAS TESTEMUNHAS SURPREENDENTES EM DEFESA DA BÍBLIA - http://filosofia777.blogspot.com.br/2012/11/profecia-e-matematica-duas_26.html
         Bem, após a leitura “obrigatória” destes 7 textos, você pode navegar à vontade nos outros artigos postados neste blog que não ficará mais tão perdido no meio de tantos números e letras.
Moacir R. S. Junior – morganne777@hotmail.com

segunda-feira, 18 de março de 2013

DEUS E OS NÚMEROS ESTRELARES-HEXAGONAIS

           Quem acompanha os estudos do Arquivo7 há algum tempo está familiarizado com os números que os matemáticos chamam de números figurados: os números triangulares, hexagonais centrados e estrelares hexagonais.
         Apesar dos números serem seres abstratos que possuem incríveis conexões com as coisas concretas, podem ser visualizados por meio de figuras, especialmente figuras geométricas.
         A pergunta é: por que aparecem tantos números figurados em Gênesis 1.1?
         A primeira frase da Bíblia, no original hebraico, tem 7 palavras e 28 letras. O número de letras é exatamente o triangular do número de palavras.
         28 é o triangular de 7 e 7 é um número hexagonal centralizado (na verdade, o primeiro da lista, com exceção do 1).
         O valor total das 7 palavras de Gênesis 1.1 é 2701, que é o triangular do número 73.
         Na verdade, 2701 só possui dois fatores: 37 e 73 e ambos são números estrelares hexagonais.
         O número 37 é ainda mais interessante. Abaixo de 75.977.114.840.189.641 (mais de 75 QUAQUILHÕES) só existem DEZ números que são hexagonais e estrelares hexagonais ao mesmo tempo. Abaixo de 1000 só existe um: 37.
         O valor da frase bíblica mais importante sobre a origem do Universo possui dois números estrelares hexagonais, mas o surpreendente é que 37 é exatamente o hexágono que está no centro do 73.
* Em muitos artigos anteriores já demonstramos isso.
         Veremos agora um outro aspecto da questão.

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

A ETERNIDADE DA MATEMÁTICA


Tente imaginar a seguinte situação: Se não existisse nenhum ser humano, nenhum ser vivo em lugar algum do Universo, mas apenas a matéria morta, apenas planetas, pedras e água. Num lugar tão imenso e tão sinistro, três pedras com mais quatro pedras seriam sete pedras ou outra quantidade qualquer?
Mesmo num Universo sem gente, 30 pedras mais 40 pedras seriam 70 pedras ou 80, 90, qualquer valor? Mesmo sem existir as palavras para “três”, “quatro”, “sete”, 3 pedras + 4 pedras produziria uma quantidade diferente de 7 pedras?
Bem, o que estamos querendo dizer com isso é que as verdades matemáticas são eternas, e isto significa: mesmo que o Universo não existisse, o Teorema de Pitágoras não deixaria de ser verdade.
Se você assistiu o mínimo de aula de Matemática em sua vida escolar, deve ter ouvido falar do Teorema de Pitágoras, que, em suma, diz o seguinte:
A soma dos quadrados dos catetos (dois lados menores de um triângulo retângulo) sempre será igual ao quadrado da hipotenusa (o lado maior).
Qualquer que seja o tamanho de um triangulo retângulo (do tamanho de um átomo ou do tamanho do Brasil) a soma dos quadrados dos dois lados menores será SEMPRE, ETERNAMENTE, igual ao quadrado do lado maior. Pitágoras não inventou isso, ele descobriu. E mesmo que até agora ninguém tivesse feito tal descoberta, a verdade do teorema seria o mesmo. Essa é a maravilha da Matemática.
Qualquer livro de qualquer outra ciência (Biologia, Química, Física, etc.) precisa ser atualizado de vez em quando devido às novas descobertas ou aperfeiçoamento da compreensão de um conceito. Mas um livro de Matemática escrito há 3000 anos continua tão válido quanto o foi no passado.
O maior “best seller” de Matemática, OS ELEMENTOS, de Euclides, já tem mais de 30 séculos, mas suas equações, princípios e teoremas continuam sendo ensinados nas escolas e universidades.
Se os princípios matemáticos são eternos e se acreditamos que Deus é eterno, com toda certeza do mundo, Deus e a Matemática tem tudo a ver. Esta é uma das principais teses do Arquivo7, e os muitos estudos e slides que temos publicados fundamentam-se nesse pensamento.
Além da sua eternidade, a Matemática possui certas conexões surpreendentes, relações tão inesperadas que sugerem fortemente a existência não somente de uma Mente Superior, mas um Deus Pessoal, que detém o controle absoluto de todo o Universo. Vejamos um interessante exemplo a seguir.

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

PROFECIA E MATEMÁTICA – DUAS SURPREENDENTES TESTEMUNHAS EM DEFESA DA BÍBLIA


Existem coisas na Bíblia que está além do que a mente humana poderia inventar, e o mais radical dos céticos deveria, pelo menos, reconhecer isso. O Arquivo7 pesquisa, há 22 anos, dois temas que apresentam fortes evidências da origem extraterrena da Bíblia: Profecia e Matemática. Vejamos somente três exemplos de cada um.
1 – PROFECIA
Existe atualmente muita gente que se diz profeta. Mas profetas como os antigos videntes de Israel estão a anos-luz de distância. Muitos dos profetas de hoje são meros adivinhadores. Dizem coisas óbvias, usam a dedução e prognosticam coisas que eles acham que vão acontecer.
Porém, os antigos profetas hebreus apostavam a cabeça nas suas loucas previsões. Eles afirmavam receber essas previsões diretamente de Deus, não um deus qualquer, mas o Deus de Israel. E esse mesmo Deus lança um desafio na Bíblia e afirma que é o Único que pode fazer profecias verdadeiras.
Tragam e anunciem-nos as coisas que hão de acontecer; anunciai-nos as coisas passadas, para que atentemos para elas, e saibamos o fim delas; ou fazei-nos ouvir as coisas futuras. Anunciai-nos as coisas que ainda hão de vir, para que saibamos que sois deuses; ou fazei bem, ou fazei mal, para que nos assombremos, e juntamente o vejamos.”
(Isaías 41.22,23)

Vejamos três profecias impressionantes sobre a 1ª Vinda de Jesus à Terra:

domingo, 18 de novembro de 2012

3 e 7 – UMA ESTRANHA AMIZADE MATEMÁTICA E TEOLÓGICA


A seguir, 14 fatos matemáticos e bíblicos impossíveis de serem contestados. Serão simplesmente coincidências ou possuem algum significado? Antes de responder negativamente, seria prudente de sua parte passar o visto em vários artigos sobre o tema, publicados neste blog e dar uma espiadinha básica numa série de estudos em slides, especialmente numa série intitulada “O CÓDIGO GÊNESIS”, em 19 partes, disponíveis no site www.arquivosete.webs.com, na seção dos SLIDES.

Fato número 1 – Os números mais significativos da Bíblia e que aparecem abundantemente no texto sagrado são 3 e 7 e, geralmente, os dois costumam aparecer na mesma passagem. Exemplos:

a) O livro de Gênesis começa com o mundo sendo criado em 7 dias, e Deus vendo 7 vezes que aquilo era bom. E nesses 7 dias, 3 vezes diz que Deus “criou” (Gn 1.1, 21 e 27), 3 vezes diz que Deus “fez” (Gn 1.7,16,25); 3 vezes Deus nomeia as coisas (Gn 1.5,8,10); 3 vezes Deus separa ou divide (Gn 1.4,7,18);  e 3 vezes Deus abençoa (Gn 1.22,28 e 2.3).

b) Duas vezes no Egito José interpreta sonhos. No 1.º, existem vários 3:

- TRÊS SARMENTOS
- TRÊS DIAS
- TRÊS CESTOS
- TERCEIRO DIA

No 2.º sonho, quem predomina é o número 7:

- SETE vacas gordas;
- SETE vacas magras;
- SETE espigas cheias;
- SETE espigas mirradas;
- SETE anos de fartura;
- SETE anos de fome.

c) No livro de Jó diz que ele tinha 7 filhos e 3 filhas. E numa só passagem diz que ele tinha 7 mil ovelhas e 3 mil carneiros. Novamente, 3 e 7. Depois, quando a desgraça dele começa, aparecem 3 “amigos da onça” que ficam sentados ao redor dele durante 7 dias. No final da história, Jó volta a ter outros 7 filhos e 3 filhas.

d) O Evangelho de João diz que, na 3.ª aparição de Jesus após Sua Ressurreição, Ele foi visto por exatamente 7 discípulos (João 21).

e) Os 3 amigos de Daniel foram lançados na fornalha (acesa 7 vezes mais).

f) As 7 festas judaicas apresentadas no livro de Levítico deveriam ser celebradas em 3 meses diferentes. Ou seja, três vezes no ano todo judeu se apresentaria diante do Senhor para celebrar as 7 festas.

g) Os rituais de purificação em Israel costumavam ser realizados no 3.º ou no 7.º dia.


terça-feira, 21 de agosto de 2012

A INCRÍVEL MATEMÁTICA DO NOME ISRAEL


Os números possuem muitas propriedades interessantes e misteriosas. Os matemáticos costumam dar nomes exóticos a vários tipos de números cujas propriedades são raras. Temos os números primos, números perfeitos, números triangulares, números narcisistas, e assim por diante.
Hoje vamos falar dos números estrelares hexagonais. Para identificarmos esse tipo de número primeiro temos que conhecer os números hexagonais.
O que é um número hexagonal? É todo número formado a partir da fórmula: 
3n(n-1) + 1. Vamos ilustrar para ficar mais claro: se queremos desenhar uma figura hexagonal usando bolinhas ou pedras, a primeira figura terá, obrigatoriamente, 7 pedras. 
Temos aí uma figura de seis lados, ou seja, um hexágono. Aqui os matemáticos costumam fazer uma subdivisão. Se tirarmos a pedra do centro, teremos apenas seis, mas ainda formando uma figura de seis lados, uma figura hexagonal. A figura sem a pedra no centro é chamada de NÚMERO HEXAGONAL. Com a pedra central (perfazendo sete) é mais conhecida como NÚMERO HEXAGONAL CENTRALIZADO.
Mas neste texto vamos chamar a figura acima apenas de NÚMERO HEXAGONAL e pronto.
Bom, nesse sentido, ninguém consegue fazer uma figura hexagonal com menos de sete pedras.
Se tentarmos fazer uma figura maior só conseguiremos se usarmos 19 pedras. E o número de pedras irá crescer na medida em que a figura aumentar. Com a fórmula 3n(n-1) + 1 podemos descobrir todos os números hexagonais a partir do primeiro. Só como curiosidade, os 7 primeiros números hexagonais são: 1, 7, 19, 37, 61, 91 e 127. Mesmo que não possamos formar uma figura hexagonal usando o número 1, a fórmula exige que contemos com ele.
Bem, a partir do hexágono é que surge a estrela hexagonal, também conhecida como Estrela de Davi, um dos símbolos da nação de Israel. Será que podemos desenhar uma estrela hexagonal usando bolinhas ou pedras?
Claro. Partindo do primeiro número hexagonal, 7, é só colocarmos uma pedra em cada um dos seis lados e teremos a primeira estrela hexagonal. Vejam aqui:
Quantas pedras essa primeira estrela possui? Exatamente 13 pedras. Portanto, 13 é o primeiro número ESTRELAR HEXAGONAL (isto é, que forma uma estrela de seis pontas).
Além do 13 que outro número estrelar hexagonal podemos encontrar? A fórmula matemática é: 6n(n-1) + 1. 
Usando esta fórmula podemos encontrar qualquer número estrelar hexagonal.
Por exemplo, se você quiser saber qual é o primeiro número estrelar hexagonal só precisa substituir a letra “n” da fórmula pelo número 1. O resultado é 1, apesar de que uma pedrinha só não forma visualmente uma estrela hexagonal.
Agora substituía os “n” da fórmula por 2, e você terá o segundo número estrelar hexagonal que é o nosso conhecido 13.
Ex.: A fórmula é 6n(n-1) + 1.
Agora, substituindo o “n” por 2, temos:
6.2 (2-1) + 1. Resolvendo:
6.2 (ou 6 x 2) = 12
(2 – 1) é igual a 1.
12 x 1 é 12 mesmo. Somando com o último 1 da fórmula, teremos 13 (que já foi demonstrado figurativamente acima).
Só como desafio, descubra qual é o 1000.º número estrelar hexagonal. Você só terá que substituir a letra “n” por 1000 e ir até o final.
Bem, abaixo de 1000 só existem 13 números estrelares hexagonais: